Há 4 anos venho me aprofundando na construção de um novo jeito de trabalhar e com isso meu interesse por estudar as novas relações de parcerias que podemos criar tem aumentado.

Tenho encontrado cada vez mais pessoas que estão se desapegando de velhos modelos e criando o seu trabalho. Profissionais que antes só acreditavam no modelo CLT se unindo a outras pessoas e começando a empreender, na verdade a se empreender de novas formas.

Porém, algumas competências e valores são postos a prova e o primeiro deles é a autorresponsabilidade.

Sabe quando você percebe que você é o único responsável pelas decisões que toma, pelas escolhas que faz e consequentemente pelo planejamento da carreira ou trabalho que quer ter?

Sim, as pessoas que estão criando a vida que querem viver não se sentem vítimas. Elas se colocam como protagonistas de sua carreira e vida.

Muitas angustias ainda pairam nas discussões em grupo que faço, sobre como se reinventar, como empreender sem nunca ter feito isso antes, ou pessoas que dizem que não ter o perfil de empreendedores.

E é claro que esses novos paradigmas não são tão fáceis de assimilar, mas muito possíveis de se aprender. Podemos pegar um caminho que nunca pegamos antes. Só não podemos paralisar.

O mundo já mudou, estamos vivendo uma grande transição e o trabalho não está fora dessa transformação.

O que temos visto com muita intensidade são as pessoas sentirem cada vez mais necessidade de rever os padrões de comportamentos que as trouxeram até aqui e perceber que algo precisa ser transformado para continuar.

O mais lindo disso tudo é que não estamos sozinhos. Esse movimento de transição é global e por isso nos identificamos tanto com os assuntos de transição de carreira, busca por propósito, em como monetizar uma nova atividade muito mais alinhada com nossas paixões e por aí vai. E já temos muitas histórias de sucesso para nos espelharmos e não nos sentirmos só.

Podemos nos aproximar e compartilhar nossos projetos com outras pessoas de forma colaborativa. Podemos trabalhar em rede e fortalecer nossas entregas. Podemos fazer várias coisas diferentes, porque percebermos que somos multipotenciais. E esse novo mundo que já surgiu nos traz muitas oportunidades de criarmos o trabalho que queremos. De nos reinventarmos com base no que somos, no que amamos fazer e com isso criar as entregas que só nós podemos fazer para o mundo.

Então, nos resta a delícia de olharmos para dentro de nós mesmos e buscarmos profundamente nos conhecer para achar nossas paixões e nos alinharmos a elas para criar o trabalho dos nossos sonhos.

Quem acredita já criou.

Claudia Vaciloto é psicológa, coach, Idealizadora e Sócia do NaSala, Facilitadora de jogos de autoconhecimento e sócia da Plataforma GameYou Learn and Fun.

Leia aqui a história da Claudia Vaciloto